Corrida para a Prefeitura de Curitiba

Opinião

Você já se imaginou correndo 42.195 quilômetros na Maratona de Curitiba?

A maratona é uma prova da prefeitura e da cidade de Curitiba, e dos atletas que tem um percurso muito desafiador pelas ruas da nossa cidade. A maratona é uma prova da prefeitura e da cidade de Curitiba, e dos atletas que tem um percurso muito desafiador pelas ruas da nossa cidade.
Quino Al
/
Unsplash
Adonai Armstrong Filho
30/10/2023 9:26

Você já se imaginou correndo 42.195 km? 21 km? 10 km? 5 km? Dia 19/11/23, teremos os amantes da corrida, independente da distância escolhida, em busca da linha de chegada.

Conversei com Tadeu Natalio, coordenador técnico da Maratona de Curitiba 2023, organizador de provas de corrida há 30 anos, e ele me contou que a primeira prova da Maratona de Curitiba foi em 1995, em 1996 não teve, e de 1997 até 2022 todos os anos a prova aconteceu, sendo que em 2021 a prova foi virtual por conta do lockdown.

A maratona é uma prova da prefeitura e da cidade de Curitiba, e dos atletas que tem um percurso muito desafiador pelas ruas da nossa cidade. Hoje ela é a quinta maior maratona do Brasil, com mais de 10 mil atletas inscritos de todas as partes do país (em todas as distâncias 5,10,21 e 42). Nesse dia mais que especial, a organização que neste ano é feita pela Global Vita e Procorrer, conta com a compreensão e o incentivo dos moradores da nossa cidade. 

É um dia de superação, contemplação e conquistas. Tadeu Natalio traduziu muito bem o processo preparatório para uma maratona: “são pessoas em busca de saúde, que passam por um período de treinamento duro, e o dia da prova é o dia do vestibular, onde cada um vai colocar em prática o que foi feito em um ano de treinamento.” 

Eu também faço parte dos apaixonados pela corrida, junto com alguns alunos meus, vamos em busca dos 42.195 km. Um deles é João Arruda, que nos traz um pouco da sua percepção e sentimento do que a corrida e uma maratona significam para ele. “Hoje tenho 47 anos e ao iniciar minha jornada como corredor amador aos 44 anos, nunca poderia imaginar a emoção que sentiria ao me preparar para a maratona de Curitiba.  Corremos nos parques como Barigui, Bacacheri, São Lourenço e Tingui, que se tornaram nossos campos de treinamento, desde as corridas nas canaletas de ônibus até as calçadas que percorremos.”

Com a proximidade do grande dia, a ansiedade e a expectativa crescem. O clima ameno da cidade é um aliado, mas a altimetria pode representar um desafio e tanto. Afinal, estar preparado para uma maratona vai muito além do condicionamento físico. É necessário ter a mentalidade certa e uma estratégia bem definida para o dia da prova.

Com quatro semanas pela frente, é o momento de focar no acabamento e na recuperação. Cada treino, cada quilômetro percorrido, é uma etapa cumprida em direção ao meu objetivo. A confiança, aprendi, é conquistada com a experiência. Como iniciante, sei que o desempenho pode ser imprevisível, mas o importante é a determinação em enfrentar o desafio. E que honra é poder correr na cidade que me viu nascer e onde construí minha vida com minha família.

E aqui fica um convite para você leitor, para apoiar e incentivar os corredores nesse dia, e quem sabe no ano que vem fazer parte desta festa, um dia que vai ficar para história de muitas pessoas que tem como objetivo maior a superação.

Última atualização
31/10/2023 10:38
Adonai Armstrong Filho
Professor de Educação Física. Mentor de projetos de vida por meio da atividade física.

'Memórias de chá', novo livro do CIS, ganha vida com homenagens e relatos

'Memórias de chá', novo livro do CIS, ganha vida com homenagens e relatos

Jane Hir
20/4/2024 9:27

Já faz algum tempo (acredito que esse seja um presente do envelhecimento) que venho aprendendo a saborear os momentos vividos. É como se relesse com atenção uma parte da história que ainda estou construindo.

Há duas semanas, escrevi sobre a apresentação do livro Memórias de chá, escrito pelas educandas do Centro de Integração Social (CIS). Nesse evento, uma cena se destaca entre as minhas lembranças: a diretora da unidade presta uma linda homenagem ao seu pai para representar, naquele momento, o leitor.

Pateta no trânsito: reflexões sobre raiva e autocontrole

Controlar o 'Pateta interno' pode transformar sua condução

Carolina Schmitz da Silva
20/4/2024 9:08

Na minha infância, lembro-me de assistir ao filme do Pateta no trânsito, uma animação da Disney na qual ele se transforma em uma pessoa raivosa ao dirigir. Aquela mudança de humor ao entrar em um carro me impressionava profundamente.

Agora, como adulta, vejo-me controlando meu Pateta interno e, em alguns momentos, percebo sua força crescer enquanto dirijo. Tendo consciência de quando ele domina, reconheço quão inadequado ele é.

Cidade Capital é um projeto de jornalismo.

47.078.846/0001-08

secretaria@cidade.capital