Corrida para a Prefeitura de Curitiba

Opinião

Dicas para seguir firme nos treinos durante o inverno

Dicas para não perder a motivação e continuar a prática de atividades físicas no inverno.Dicas para não perder a motivação e continuar a prática de atividades físicas no inverno.
Kayle Kaupanger
/
Unsplash
Adonai Armstrong Filho

Eu sei, ainda não chegamos no inverno. Para sermos mais exatos, o inverno se inicia dia 20 de junho e vai até o dia 22 de setembro. Mas por que abordar esse assunto desde já? A temperatura vem caindo, estamos no outono e, coincidentemente, este final de semana foi frio e chuvoso. “Ai, que preguiça, que vontade de ficar em casa!”

Sexta-feira passada o tempo estava agradável, fiz meu treino de corrida tranquilamente, sem nenhum tipo de desconforto com a temperatura, nem quente nem frio. Logicamente, os “atletas” outdoor são os mais impactados pela variação do clima e da temperatura. Sábado veio a chuva, e a temperatura caiu. Domingo estava programado para eu correr 19 km, e confesso que o receio que tenho com a atividade outdoor e da exposição do nosso corpo à chuva, junto com temperaturas baixas, é baixar a imunidade e pegar aquela gripe que nos atrapalha tanto na continuidade da minha rotina de atividade física como também na profissional.

Aposto que, após esse meu relato, vocês acharam que eu não fui, mas eu fui. E confesso que o clima estava muito agradável para a prática da corrida, em torno de 14 graus. Coloquei uma camiseta que ajuda a manter a temperatura corporal por baixo, uma meia mais alta, um buff (um implemento que pode ser usado tanto na cabeça quanto no pescoço) para proteger as orelhas, e lá se foram mais 19 km pra conta. Atualmente, temos muitos recursos para a prática de atividade física, com relação a roupas e acessórios, para serem utilizados em diferentes temperaturas, e devemos usar isso a nosso favor.

Voltando ao assunto clima e temperatura, eu sei que eles são parceiros de longa data da preguiça, mas é importante entender que a atividade física deve ser mantida em qualquer período do ano. Em temperaturas mais baixas, existem benefícios ainda maiores. Aqui estão alguns dos principais:

  • Queima de calorias aumentada: No frio, o corpo precisa gastar mais energia para manter a temperatura corporal, o que pode resultar em uma maior queima de calorias durante os exercícios.
  • Melhora na resistência: Exercitar-se em temperaturas mais baixas pode ajudar a melhorar a resistência física, pois o coração e os pulmões trabalham mais para aquecer e umedecer o ar inalado.
  • Maior ativação da gordura marrom: O frio ativa a gordura marrom, um tipo de tecido adiposo que ajuda a queimar calorias para gerar calor, contribuindo para a perda de peso.
  • Fortalecimento do sistema imunológico: A exposição moderada ao frio pode fortalecer o sistema imunológico, tornando o corpo mais resistente a doenças.
  • Menos desidratação: No frio, a transpiração é menor, o que reduz o risco de desidratação comparado ao exercício em ambientes quentes.
  • Melhora do humor: A prática de atividades físicas, especialmente ao ar livre, pode melhorar o humor e combater a depressão sazonal, comum nos meses mais frios.

Treinar no frio pode requerer algumas adaptações, como vestir-se adequadamente e fazer um aquecimento mais cuidadoso para evitar lesões. No entanto, os benefícios podem ser significativos para quem mantém a regularidade dos exercícios mesmo nos meses mais frios. É claro que um clima quente é mais motivante e contribui para acordarmos mais animados para as tarefas do dia. Mas também um clima mais quente tende a interferir diretamente na nossa performance, principalmente para os iniciantes. Por isso, a dica é: “treine o ano todo, e você não irá se arrepender”. Mesmo que o diabinho da preguiça vá lá no seu ouvido e na sua consciência dizer “aqui está melhor, está mais quentinho”, a atividade física e o movimento são o melhor remédio.

Última atualização
23/5/2024 12:10
Adonai Armstrong Filho
Professor de Educação Física. Mentor de projetos de vida por meio da atividade física.

Gravidez entre vítimas de estupro pode aumentar com PL do aborto

Gravidez entre vítimas de estupro pode aumentar com PL do aborto

Redação Cidade Capital
14/6/2024 10:10

Entre 1º de janeiro e 13 de maio de 2024, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque 100). A média foi de cerca de 60 casos por dia ou dois registros por hora, segundo a Agência Brasil.

Esses números podem piorar com a aprovação do Projeto de Lei 1.904/2024 e também aumentar os casos de gravidez indesejável entre crianças e adolescentes, especialmente meninas vítimas de estupro em situação de vulnerabilidade social. O alerta é de movimentos sociais e instituições que repudiam a proposta de alteração do Código Penal Brasileiro.

Dia mundial do doador de sangue: o que é preciso para doar

Dia mundial do doador de sangue: o que é preciso para doar

Redação Cidade Capital
14/6/2024 9:31

A auxiliar administrativa Larissa Régis, de 24 anos, doou sangue pela primeira vez aos 18 anos. “Fui motivada pelo desejo de ajudar as pessoas e fazer a diferença na vida do próximo. A ideia de que uma simples ação poderia salvar vidas foi um grande incentivo para mim”, diz Larissa.

Desde então, a jovem faz pelo menos uma doação de sangue por ano e planeja se tornar uma doadora regular para ajudar a manter os estoques em dia. “Acho muito importante manter esse compromisso. A ideia de ter uma carteirinha de doador é algo que me atrai, já que facilita o acompanhamento e reforça minha responsabilidade com a causa”, explica.

Opinião

Dicas para seguir firme nos treinos durante o inverno

Dicas para não perder a motivação e continuar a prática de atividades físicas no inverno.Dicas para não perder a motivação e continuar a prática de atividades físicas no inverno.
Kayle Kaupanger
/
Unsplash
Adonai Armstrong Filho
Professor de Educação Física. Mentor de projetos de vida por meio da atividade física.
23/5/2024 12:10
Adonai Armstrong Filho

Eu sei, ainda não chegamos no inverno. Para sermos mais exatos, o inverno se inicia dia 20 de junho e vai até o dia 22 de setembro. Mas por que abordar esse assunto desde já? A temperatura vem caindo, estamos no outono e, coincidentemente, este final de semana foi frio e chuvoso. “Ai, que preguiça, que vontade de ficar em casa!”

Sexta-feira passada o tempo estava agradável, fiz meu treino de corrida tranquilamente, sem nenhum tipo de desconforto com a temperatura, nem quente nem frio. Logicamente, os “atletas” outdoor são os mais impactados pela variação do clima e da temperatura. Sábado veio a chuva, e a temperatura caiu. Domingo estava programado para eu correr 19 km, e confesso que o receio que tenho com a atividade outdoor e da exposição do nosso corpo à chuva, junto com temperaturas baixas, é baixar a imunidade e pegar aquela gripe que nos atrapalha tanto na continuidade da minha rotina de atividade física como também na profissional.

Aposto que, após esse meu relato, vocês acharam que eu não fui, mas eu fui. E confesso que o clima estava muito agradável para a prática da corrida, em torno de 14 graus. Coloquei uma camiseta que ajuda a manter a temperatura corporal por baixo, uma meia mais alta, um buff (um implemento que pode ser usado tanto na cabeça quanto no pescoço) para proteger as orelhas, e lá se foram mais 19 km pra conta. Atualmente, temos muitos recursos para a prática de atividade física, com relação a roupas e acessórios, para serem utilizados em diferentes temperaturas, e devemos usar isso a nosso favor.

Voltando ao assunto clima e temperatura, eu sei que eles são parceiros de longa data da preguiça, mas é importante entender que a atividade física deve ser mantida em qualquer período do ano. Em temperaturas mais baixas, existem benefícios ainda maiores. Aqui estão alguns dos principais:

  • Queima de calorias aumentada: No frio, o corpo precisa gastar mais energia para manter a temperatura corporal, o que pode resultar em uma maior queima de calorias durante os exercícios.
  • Melhora na resistência: Exercitar-se em temperaturas mais baixas pode ajudar a melhorar a resistência física, pois o coração e os pulmões trabalham mais para aquecer e umedecer o ar inalado.
  • Maior ativação da gordura marrom: O frio ativa a gordura marrom, um tipo de tecido adiposo que ajuda a queimar calorias para gerar calor, contribuindo para a perda de peso.
  • Fortalecimento do sistema imunológico: A exposição moderada ao frio pode fortalecer o sistema imunológico, tornando o corpo mais resistente a doenças.
  • Menos desidratação: No frio, a transpiração é menor, o que reduz o risco de desidratação comparado ao exercício em ambientes quentes.
  • Melhora do humor: A prática de atividades físicas, especialmente ao ar livre, pode melhorar o humor e combater a depressão sazonal, comum nos meses mais frios.

Treinar no frio pode requerer algumas adaptações, como vestir-se adequadamente e fazer um aquecimento mais cuidadoso para evitar lesões. No entanto, os benefícios podem ser significativos para quem mantém a regularidade dos exercícios mesmo nos meses mais frios. É claro que um clima quente é mais motivante e contribui para acordarmos mais animados para as tarefas do dia. Mas também um clima mais quente tende a interferir diretamente na nossa performance, principalmente para os iniciantes. Por isso, a dica é: “treine o ano todo, e você não irá se arrepender”. Mesmo que o diabinho da preguiça vá lá no seu ouvido e na sua consciência dizer “aqui está melhor, está mais quentinho”, a atividade física e o movimento são o melhor remédio.

Adonai Armstrong Filho
Professor de Educação Física. Mentor de projetos de vida por meio da atividade física.
Última atualização
23/5/2024 12:10

Gravidez entre vítimas de estupro pode aumentar com PL do aborto

Redação Cidade Capital
14/6/2024 10:10

Entre 1º de janeiro e 13 de maio de 2024, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque 100). A média foi de cerca de 60 casos por dia ou dois registros por hora, segundo a Agência Brasil.

Esses números podem piorar com a aprovação do Projeto de Lei 1.904/2024 e também aumentar os casos de gravidez indesejável entre crianças e adolescentes, especialmente meninas vítimas de estupro em situação de vulnerabilidade social. O alerta é de movimentos sociais e instituições que repudiam a proposta de alteração do Código Penal Brasileiro.

Dia mundial do doador de sangue: o que é preciso para doar

Redação Cidade Capital
14/6/2024 9:31

A auxiliar administrativa Larissa Régis, de 24 anos, doou sangue pela primeira vez aos 18 anos. “Fui motivada pelo desejo de ajudar as pessoas e fazer a diferença na vida do próximo. A ideia de que uma simples ação poderia salvar vidas foi um grande incentivo para mim”, diz Larissa.

Desde então, a jovem faz pelo menos uma doação de sangue por ano e planeja se tornar uma doadora regular para ajudar a manter os estoques em dia. “Acho muito importante manter esse compromisso. A ideia de ter uma carteirinha de doador é algo que me atrai, já que facilita o acompanhamento e reforça minha responsabilidade com a causa”, explica.