Corrida para a Prefeitura de Curitiba

Opinião

Novas tarifas de pedágio no Paraná contrariam promessas de Lula

Governo Lula é criticado por concessões de rodovias e novas tarifas de pedágio no Paraná, evidenciando contradições com promessas eleitorais.Governo Lula é criticado por concessões de rodovias e novas tarifas de pedágio no Paraná, evidenciando contradições com promessas eleitorais.
Jose Cruz
/
Agência Brasil
O ministro Paulo Pimenta e o presidente, Lula, apresentam o programa pé de meia, no Palácio do Planalto.
Intelligentsia

O governo federal, sob o comando do presidente Lula, enfrenta uma onda de críticas devido às concessões de rodovias no Paraná.

A situação indica uma preocupante proximidade com práticas adotadas por administrações passadas.

O modelo que está em implementação é, basicamente, decisão de Bolsonaro e Ratinho. A implementação de novas tarifas de pedágio no estado é um incômodo, sobretudo porque contraria promessas eleitorais de manter os preços acessíveis.

Essa virada de mesa não apenas contradiz os compromissos assumidos durante a campanha do petista, mas também evidencia que os paranaenses vão gastar mais.

Os contratos de concessão, estendendo-se por um período de 30 anos, parecem não somente perpetuar, mas potencialmente intensificar os encargos financeiros dos motoristas.

O aumento de mais de 40% nas tarifas para cada trecho de rodovia duplicado, juntamente com os reajustes anuais, confronta diretamente as promessas de alívio nos custos. Além disso, a ampliação para 42 praças de pedágio no Paraná marca um incremento considerável nos gastos com deslocamento.

Essa continuidade, ou mesmo retrocesso, em relação a modelos anteriores levanta sérias questões sobre a expectativa de uma gestão transparente e economicamente mais viável para os usuários.

Comunicação

Em outra frente, o uso da comunicação oficial do governo para propósitos controversos marca outra área de convergência com a gestão anterior.

No mesmo período em que um dos filhos do ex-presidente Bolsonaro foi alvo de uma operação da Polícia Federal, a comunicação oficial do Palácio optou por divulgar um meme que o ridicularizava, adotando uma postura semelhante àquela criticada anteriormente por seu teor agressivo e polarizador. Coloca-se na conta do ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta.

A tática do ridículo, frequentemente vinculada a uma comunicação polarizada e direcionada a segmentos específicos, parece ter sido acolhida pelo atual mandatário e levanta dúvidas quanto ao uso de recursos públicos para a propagação de conteúdos potencialmente divisivos.

Última atualização
1/2/2024 10:30

Como a comunicação não-violenta pode transformar nossas relações

Como a comunicação não-violenta pode transformar nossas relações

Jane Hir
13/7/2024 17:10

Vivemos tempos marcados pela violência que tem se naturalizado a cada dia em todas as instâncias sociais. Entretanto, existem brechas que precisam ser ocupadas.

Essas brechas podem ser interpretadas como espaços ainda não tomados, tendo em vista que ainda temos autonomia para fazer certas escolhas. Ainda podemos escolher ser gentis. Ainda não nos proibiram de falar e de nos escutar ou de escutar o outro.

CHA Vida é inaugurado para abrigar vítimas das enchentes na zona norte de Porto Alegre

CHA Vida é inaugurado para abrigar vítimas das enchentes na zona norte de Porto Alegre

Redação Cidade Capital
12/7/2024 10:38

O Centro Humanitário de Acolhimento Vida (CHA Vida), na zona norte de Porto Alegre, foi inaugurado nesta quinta-feira (11) pelo governo do Rio Grande do Sul.

A unidade, apelidada de cidade provisória, irá abrigar cerca de 848 pessoas que ficaram sem casa nas enchentes de abril e maio, até que recebam moradias definitivas.

Opinião

Novas tarifas de pedágio no Paraná contrariam promessas de Lula

Governo Lula é criticado por concessões de rodovias e novas tarifas de pedágio no Paraná, evidenciando contradições com promessas eleitorais.Governo Lula é criticado por concessões de rodovias e novas tarifas de pedágio no Paraná, evidenciando contradições com promessas eleitorais.
Jose Cruz
/
Agência Brasil
O ministro Paulo Pimenta e o presidente, Lula, apresentam o programa pé de meia, no Palácio do Planalto.

Novas tarifas de pedágio no Paraná contrariam promessas de Lula

O governo federal, sob o comando do presidente Lula, enfrenta uma onda de críticas devido às concessões de rodovias no Paraná.

A situação indica uma preocupante proximidade com práticas adotadas por administrações passadas.

O modelo que está em implementação é, basicamente, decisão de Bolsonaro e Ratinho. A implementação de novas tarifas de pedágio no estado é um incômodo, sobretudo porque contraria promessas eleitorais de manter os preços acessíveis.

Essa virada de mesa não apenas contradiz os compromissos assumidos durante a campanha do petista, mas também evidencia que os paranaenses vão gastar mais.

Os contratos de concessão, estendendo-se por um período de 30 anos, parecem não somente perpetuar, mas potencialmente intensificar os encargos financeiros dos motoristas.

O aumento de mais de 40% nas tarifas para cada trecho de rodovia duplicado, juntamente com os reajustes anuais, confronta diretamente as promessas de alívio nos custos. Além disso, a ampliação para 42 praças de pedágio no Paraná marca um incremento considerável nos gastos com deslocamento.

Essa continuidade, ou mesmo retrocesso, em relação a modelos anteriores levanta sérias questões sobre a expectativa de uma gestão transparente e economicamente mais viável para os usuários.

Comunicação

Em outra frente, o uso da comunicação oficial do governo para propósitos controversos marca outra área de convergência com a gestão anterior.

No mesmo período em que um dos filhos do ex-presidente Bolsonaro foi alvo de uma operação da Polícia Federal, a comunicação oficial do Palácio optou por divulgar um meme que o ridicularizava, adotando uma postura semelhante àquela criticada anteriormente por seu teor agressivo e polarizador. Coloca-se na conta do ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta.

A tática do ridículo, frequentemente vinculada a uma comunicação polarizada e direcionada a segmentos específicos, parece ter sido acolhida pelo atual mandatário e levanta dúvidas quanto ao uso de recursos públicos para a propagação de conteúdos potencialmente divisivos.

Intelligentsia
Última atualização
1/2/2024 10:30

Como a comunicação não-violenta pode transformar nossas relações

Jane Hir
13/7/2024 17:10

Vivemos tempos marcados pela violência que tem se naturalizado a cada dia em todas as instâncias sociais. Entretanto, existem brechas que precisam ser ocupadas.

Essas brechas podem ser interpretadas como espaços ainda não tomados, tendo em vista que ainda temos autonomia para fazer certas escolhas. Ainda podemos escolher ser gentis. Ainda não nos proibiram de falar e de nos escutar ou de escutar o outro.

CHA Vida é inaugurado para abrigar vítimas das enchentes na zona norte de Porto Alegre

Redação Cidade Capital
12/7/2024 10:38

O Centro Humanitário de Acolhimento Vida (CHA Vida), na zona norte de Porto Alegre, foi inaugurado nesta quinta-feira (11) pelo governo do Rio Grande do Sul.

A unidade, apelidada de cidade provisória, irá abrigar cerca de 848 pessoas que ficaram sem casa nas enchentes de abril e maio, até que recebam moradias definitivas.